terça-feira, 9 de agosto de 2011

Adeus, minha Milla!

Minha amiga querida... tão arteira e tão doce...

Exatamente por uma travessura acabou tendo que partir... machucou a boca, de uma forma tão feia e tão escondida que quando nos demos conta a infecção já estava muito grande. Conseguimos contê-la, sim, mas ela lhe enfraqueceu demais, e por mais que tenhamos feito de tudo (até bater fígado no liquidificador!), não pudemos mais mantê-la conosco. Dr. Filippi tentou tudo, e foi por confiar nele que deixei que fosse internada. A coisa estava séria, e você precisava de um tratamento mais intensivo. Pena que não deu certo...

Não por opção, graças a Deus! Acho que não conseguiria tomar uma decisão destas. Mas você simplesmente... foi! De forma suave, sem reclamar em nenhum momento... é verdade, você não gemeu sequer uma vez, Milla! Por isso até foi difícil percebermos a extensão do machucado. Afinal, você vira e mexe tinha um machucado novo por conta de suas artes! Quem podia adivinhar que desta vez a coisa era tão séria assim? :(

Hoje, quando estava chegando ao banco para trabalhar, senti de repente como se estivesse chegando em casa e você me recebendo, pulando, lambendo, feliz da vida. Meu coração ficou dividido... mas quis acreditar que estava melhorando. Agora sei que não... foi nesta hora que partiu, e veio ao meu encontro para se despedir, mostrar que estava bem de novo, saudável, feliz. Obrigada, querida, obrigada por todo o carinho, todo o amor que me dedicou nestes anos que passamos juntas.

Sentirei muito a sua falta... da sua cabeça em meu colo quando estava no computador, da carona enfiada embaixo das minhas cobertas para o boa noite, do "fantasma" no vitrô da cozinha (e algumas vezes entalado no vitrô!), dos olhos pidões quando eu estava comendo queijo (você tinha mesmo um pé na camundonguice)... das vezes que cheguei da faculdade e vi que tinha fugido, de quando encontrei você no telhado da edícula... de todas as manobras para fechar o portão de casa e impedir sua fuga... e você SEMPRE conseguia burlar! :)

Vai em paz, minha linda... se existe um céu para os cães, você certamente está nele. Só veja se não apronta demais por aí, viu? Você fez minha vida mais feliz e mais completa nestes anos todos. Espero ter feito o mesmo por você.

Andréa

1 comentários:

Clarice disse...

Puxa, Deia... Este ano está sendo um ano de provas para você, hein?
Desejo que Deus esteja do seu lado a cada minuto, te amparando e dando forças! Um beijo!

9 de agosto de 2011 20:32

Postar um comentário