Feliz Ano Novo!!!



2011 foi um ano difícil... difícil de verdade! Eu até comecei animada, pensando no baile de formatura, que foi mesmo curtido até a última gota. Mas, logo em seguida... minha casa foi invadida pela enchente! Perdi praticamente tudo o que tinha, tive que refazer minha casa e minha vida. Quando as coisas estavam serenando, meu pai adoece e vai embora, assim, de repente. Ficou um vazio monstro, difícil de suportar. E, se eu achava que já tinha passado perdas suficientes, minha fiel companheira Milla também resolveu partir.

2011 foi um ano de perdas... de todos os tipos. Um ano para não se querer lembrar, para se querer “ver pelas costas”. Mas... se houve perdas, houve também o “outro lado”: a amizade, a solidariedade, o carinho, o amor! 

Não sei o que teria sido de mim sem os amigos... e quando falo amigos, englobo todos aqueles que estiveram junto comigo, dando colo, apoio, ajudando com palavras, com abraços, ou mesmo com algo material. Estão nesta lista, amigos reais e virtuais, parentes, colegas de serviço. E que eu não esqueça desta benção, porque se estivesse trabalhando em outro local muito provavelmente as coisas seriam ainda mais penosas.

Estas pessoas, tão especiais e tão queridas, conseguiram fazer um ano muito complicado se tornar um pouco mais leve, mais fácil de levar. Tornaram as perdas mais possíveis de suportar e de superar. 

Por estas e outras, 2011 é, acima de tudo, um ano de...

AGRADECER!!!

FELIZ 2012! Obrigada por tudo!!!


E agora... vamos ao Reveillon!!! ;)

Andréa

Leia mais!

Feliz Natal!


Como disse na última postagem, estou no Rio! Cheguei quarta-feira à noitinha, e já está sendo ótimo! Samara tem se mostrado, mais uma vez, uma grande companheira! Estou postando as fotos aqui, então quem quiser acompanhar a aventura é só abrir de vez em quando o álbum! Ainda assim, como prometido, não podia deixar de lhes desejar um Feliz Natal!




A minha mensagem está aí em cima... até pensei em escrever mais, mas lembrei de um dos textos do meu pai, tão perfeito... e desisti de continuar. Fiquem com ele. Vale a pena!

NASCE A ESPERANÇA: É NATAL
(Ronaldo Tikhomiroff)


Ao aproximar-se a data magna da cristandade, quando se comemora o nascimento de Jesus, o Cristo, creio que devemos parar um pouco para uma profunda reflexão.

A vinda de Cristo à Terra, através do Menino-Jesus, teve, evidentemente, um objetivo maior, muito maior do que puderam seus próprios fiéis seguidores compreender: sentiam em seu íntimo que aquele Ser ali estava para cumprir uma missão divina, mas não entendiam qual a sua extensão. É perfeitamente compreensível, haja visto as limitações da época, as disputas políticas e religiosas entre judeus e romanos, que aqueles escolhidos por Cristo para propagar Sua Fé e Seu Amor, não compreendessem a profundidade e a intemporalidade daquilo que Cristo lhes mostrava.

O Natal, data definida pelo homem para comemorar a chegada do Menino-Jesus à Terra, deve servir para muito mais do que meras trocas de presentes. Deve servir, isto sim, para dar ao homem mais uma oportunidade de se lembrar do imenso sacrifício dAquele que se colocou a serviço de Deus para reconduzir o homem em seu caminho evolutivo.

Muito mais que a Semana-Santa, o Natal deve nos fazer refletir sobre o Amor Infinito do Pai, através de seu enviado a nós, Jesus - o Cristo. Em sua caminhada entre nós, desde seu nascimento, Ele nos mostrou o verdadeiro caminho da Verdade, pela humildade, pelo amor ao próximo, pela misericórdia, pelo repartir e pela verdadeira Fé no Pai único.

A inocência do Menino-Jesus, que permaneceu imaculada em toda a sua jornada entre nós, apesar de todos os estímulos que a vida mundana proporcionava, é a maior demonstração de Fé que Cristo nos poderia oferecer. O Amor incondicional que Ele dedicou ao homem, seja rico ou pobre, seja branco ou negro, seja cristão ou ‘profano’, amando até mesmo seu próprio algoz, nos mostra que somos TODOS irmãos. E como irmãos devemos agir.

A lembrança da mensagem do Natal, que a cada dia menos indivíduos dão atenção, deveria ser vivenciada por todos nós durante toda a nossa existência, e não somente numa data específica, pois ela é a base de nossa passagem por esse mundo, tão carente do verdadeiro AMOR.

Mas, passada a festa natalina, já o homem se diz ‘cair na real’, gíria que significa voltar à realidade fabricada por ele mesmo, que poderia ser diferente, muito diferente, se o amor pregado por Cristo estivesse presente em seu coração. Esta atitude do homem, lembrando-se ‘en passant’ de seu Salvador, enquanto se delicia devorando um peru sacrificado na véspera e se embriaga sem saber exatamente porquê, chega às raias da hipocrisia.

Uma data onde o homem deveria repartir com seus semelhantes a lembrança dAquele que o amou com tanta intensidade, transforma-se, nostálgica e tristemente, em uma “saída do sufoco” para alguns e a “entrada no sufoco” para outros, tal a ganância que a febre consumista deflagra. Como se isso realmente viesse a alegrar Aquele que nos legou a própria vida terrena...

Às crianças é ensinado a esperar pelo Natal “para ganhar presentes”... Por quê? Porque é dia de Papai Noel, dizem uns. Porque o papai recebeu o 13o.salário, dizem outros. Não lhes é passado o verdadeiro espírito natalino e assim elas crescem e transmitem a seus filhos... e o Menino-Jesus vai-se tornando uma simples peça de presépio em uma vitrine qualquer...

Mas, o Natal está aí e ainda é tempo de nos conscientizarmos de seu significado. É um momento. Um momento em nossas vidas onde podemos refletir sobre o mundo que criamos em nossa volta e compará-lo com aquele desejado por nosso Salvador, nascido no Menino-Jesus...que diferença! Porque não pensarmos um pouco em nossos irmãos que conosco partilham a mesma dádiva de aqui evoluir? Porque não cultivarmos o amor que Cristo nos ensinou e o partilharmos, a cada minuto de nossas vidas, com todos os nossos irmãos em Deus?

Vamos, neste Natal, esquecer, um pouco que seja, a festa consumista que nós mesmos criamos, uma festa simbolizada hoje pelo sacrifício de um peru devorado sem nenhum constrangimento, e realizarmos uma introspecção sobre a nobreza e a grandiosidade daquele pequeno Ser, sorrindo em sua manjedoura...quem sabe não estaremos mudando este mundo, para a alegria do Menino-Jesus?

Nesta data, 25 de dezembro, há dois mil anos atrás, nascia a esperança de todos nós... Pai, não haveremos de decepcioná-Lo.

E, para finalizar, uma música de Ivan Lins, que retrata um pouco o efeito Fênix que me faz permanecer de pé depois de tantos trancos... há alguns anos ela já havia se tornado a "minha" música de Natal. Agora então...


FELIZ NATAL A TODOS!!!

Andréa

Leia mais!

Após um longo silêncio...

... algumas notícias! :D Sério, o silêncio se estendeu um pouco, né? Mas o final de ano está corrido, e eu estou, finalmente, sentindo o peso de tudo o que passei durante ele. Nessas últimas semanas, somaram-se à reposição do horário da greve (chegando mais cedo e saindo mais tarde), dois finais de semana acordando mega cedo por conta de provas de certificação do banco e provas da pós! :P Afe! Coisa demais!!! Mas tudo bem, passou... só não sei nenhum resultado ainda! :)

Sem contar que a loja começou a girar melhor, a produção aumentando aos poucos... que bom!!! :) E quem tem comprado não se arrepende não, viu? Se ainda não conferiu, vai lá!!! ;) Com tudo isso, ainda consegui manter o Projeto 52 em ordem, além de voltar a criar scraps para os meus amores! Os links das galerias estão na parte de cima do blog! Usei isso para relaxar, porque comecei a sentir um cansaço fora do comum, físico, mental, emocional... uma urgência de dar uma parada, sair, viajar... e via o tempo passando e nada se resolvendo!

Viajar, sem grana é complicado... ficar na casa de alguém, justo nas festas de fim de ano também! Principalmente o Natal, que é muito família... não dá para invadir simplesmente. E era justo a data em que mais queria estar longe de Serra Negra. Não estou pronta ainda para passar aqui em casa... está tudo muito recente! Quebrei a cabeça, fiz conta, e não conseguia chegar a um acordo. Quando as esperanças iam se dissolvendo, eis que surge a salvação! Um grande amigo de meu pai, seu padrinho de casamento, oferece hospedagem em seu apartamento no Rio! :D

Melhor que isso impossível! Faz quase 19 anos que não vou para lá, desde que meu avô faleceu. Vou poder rever pessoas queridas, lugares que fizeram parte de minha infância e adolescência, conhecer amigos virtuais... bom demais! Samara, minha fiel escudeira, irá junto. Thabata, infelizmente, dessa vez não poderá estar conosco, mas ano que vem as coisas estarão mais serenas, a $ituação estará melhor também, e aí a viagem será a três!

Então... dentro de uma semana estarei em terras cariocas! Se todo mundo já descobre de onde eu sou pelo sotaque, imagina depois desta temporada! Vou voltar puxando ainda maixxxx os essexxxx!!! :D

Mas eu dou notícia, não deixarei de postar minha mensagem de Natal e Ano Novo, prometo!

Hoje deixo vocês com mais uma poesia de minha mãe, datada de novembro de 1963, quando ela tinha apenas 14 anos! E, claro, é uma declaração de amor ao meu pai...

Meu Despertar
(Solange Tikhomiroff)

Todo o amor que te dediquei em segredo,
com a mais pura e doce ingenuidade,
Teve o encanto maravilhoso
Desses contos de enredo
Que quase se misturam com a eternidade

Nasceu e cresceu...
Ontem triste... hoje sorrindo...
No meu, no teu, nos nossos corações,
Nunca teve o ardor que vai sumindo
Quando vão acabando as emoções

E quando floresceu com seus raios divinos,
No meu, no teu, nos nossos destinos,
O coração me disse com felicidade:
"-A ternura que sentes, essa meiguice,
É o primeiro amor de tua meninice
e é o último amor de tua mocidade!"

Eu volto!

Andréa

Leia mais!

Calendário Happy Down 2012

Você é o nosso convidado especial para o lançamento do tradicional Calendário Happy Down 2012.

Esta edição contou com a participação de garndes nomes da televisão brasileira juntamente com crianças com síndrome de Down, visando mais uma vez abordar a importância do respeito a diversidade humana.

Tirando o custo, o lucro gerado pela venda do calendário é direcionado ao Grupo Síndrome de Down do Hospital Infantil Darcy Vargas, que auxilia mais de 12o famílias carentes.

Lançamento RJ 26/Nov
Livraria Cultura
Estrada da Gávea, 899 – Lojas 201,202 e 204
22610-001 – São Conrado – Rio de Janeiro – RJ

Lançamento SP 27/Nov
Livraria Cultura
Av. Dr. Chucri Zaidan, 902
04583-903 – Vila Cordeiro – São Paulo – SP

Lançamento DF 03/Dez
Livraria Cultura
SHINCA 4, Lote A
71503-504 – Lago Norte Brasília

* embelezando o convite, Paula Werneck e Fernanda Honorato, lindas demais da conta!

Andréa

Leia mais!

Inclusão JÁ!

A publicação do Decreto 7611/2011 dia 18/11/2011, revogando o Decreto 6571/2008, vem se contrapor a tudo o que havia sido conquistado com relação à Educação Inclusiva. Um retrocesso que, ainda que não possa contrariar os preceitos constitucionais, abre brechas inaceitáveis. O texto abaixo, de Claudia Grabois esclarece os detalhes:

O Decreto 6571/08, durante os últimos três anos, foi instrumento poderoso para a efetivação da educação inclusiva. Além de dispor sobre o Atendimento Educacional Especializado, destinava recursos para a equiparação de direitos na sala de aula com a dupla matrícula no âmbito do Fundeb dos estudantes público alvo da Educação Especial matriculadas no AEE no período oposto ao da escolarização. Ou seja, garantia a oferta do AEE em Salas de Recursos Multifuncionais na própria escola ou em outra escola da rede de ensino, em centro de atendimento educacional especializado ou por instituições filantrópicas . O decreto permitiu que o AEE pudesse ser oferecido por instituições, valorizando assim toda a sua trajetória, e ressignificando o seu papel na sociedade.

No dia 18/11/2011 foi publicado no novo Decreto 7611/2011 que revoga o Decreto 6571/2008 é o Art. 8º que inclui e dá nova redação para o Art. 14 do Decreto 6253/2007 trazendo em seu texto o artigo 14, que segue abaixo

Art. 14. Admitir-se-á, para efeito da distribuição dos recursos do FUNDEB, o cômputo das matrículas efetivadas na educação especial oferecida por instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos, com atuação exclusiva na educação especial, conveniadas com o Poder Executivo competente. (Redação dada pelo Decreto nº 7.611, de 2011)

§ 1o Serão consideradas, para a educação especial, as matrículas na rede regular de ensino, em classes comuns ou em classes especiais de escolas regulares, e em escolas especiais ou especializadas. (Redação dada pelo Decreto nº 7.611, de 2011)

Desta forma o novo decreto permite que escolas especiais ofertem a Educação, sejam espaços segregados de escolarização regulamentados por Lei, ou seja, elas podem substituir a escolarização em classes comuns de escolas regulares; fato já superado no nosso país, que levou inclusive o Brasil a ser exemplo para o mundo pelos esforços para a garantia da educação para os alunos com Deficiência e total respeito ao artigo 24 da Convenção sobre os Direitos com Deficiência e demais preceitos constitucionais.
Os avanços promovidos pelo MEC através da SEESP/MEC-atual DPPE/SECADI/MEC- nos últimos 8 anos garantiram Direitos Humanos, garantiram que as pessoas com deficiência saissem da invisibilidade e se tornassem estudantes de classes comuns da escola regular e da Educação de Jovens e Adultos, e com rescursos destinados.

Ao mesmo tempo que foi lançado o Projeto "Viver Sem Limites", foi assinado o Decreto 7611/11 que restringe Direitos e viola os preceitos constitucionais, algo totalmente contraditório. Pois como garantir o exercício da cidadania sem o aprendizado da Escola onde estudam pessoas com e sem deficiência? Como fazer com que cultura da exclusão e a discriminação sejam extinta se são incentivadas pelo Governo? Como exercer plenamente a cidadania se espaços segregados são ligitimados e regulamentados como escola? Como evitar que pessoas com deficiência possam participar na sociedade de acordo com os 33 artigos de conteúdo da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, que tem equivalência de Emenda Constitucional?

Agora se faz necessário refletir e principalmente lutar para garantir que o artigo 14 não seja efetivado, simplesmente por ser Inconstitucional. Vamos trabalhar para que o Direito Inalienável à Educação não seja violado e para que os Preceitos Constitucionais continuem a ser devidamente respeitados.

Vamos enviar e-mails para a Presidência da República, para a Secretaria de Direitos Humanos, Ministério da Educação e exigir que respeitem os Direitos Fundamentais e não rasguem a Constituição Federal, e Educação é Direito Inalienável. Vamos ao Ministério Público Federal, vamos denunciar.

Educação só em classe comum de Escola Regular!! Matrícula computada em dobro pelo FUNDEB só para alunos de classe comum de escola regular!!

Vamos seguir lutando e vamos vencer! Junt@s Somos Fortes!

Somos bem mais do que 12.000. SOMOS UM!

Claudia Grabois
A FBASD (Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down) já emitiu nota de repúdio a esta publicação. Os sites Inclusão Já e Inclusive vêm publicando as matérias relacionadas. Não podemos nos calar.

Andréa

Leia mais!

Escritos, escritos...


Na última postagem, comecei a copiar textos de meu pai. Sempre gostei demais do que ele escrevia e vou compartilhar isso com vocês aos poucos. Mas não só ele tinha o dom da escrita. Minha mãe era poetisa, desde menina. Seus versos são lindos, intensos... Ainda bem que o caderno dela foi salvo da enchente!!! :D É um tesouro que guardo com o maior carinho!!! Então, nada mais justo do que também usar esse espaço para divulgar esta artista e seus poemas, né? ;)

Para começar, um acróstico que ela fez para mim quando eu nasci... e que de tanto que gosto, sei de cor! :D

Andréa filha querida...
Nascestes de minha vida,
Do amor, da dor, da alegria...
Recolhida em meu regaço,
Eu recebi em meus braços,
A vida que me sorria

Ela escreveu muitas outras para mim, outras tantas para o meu pai, para minha irmã, para assuntos os mais diversos... meu avô chegou a divulgar parte deles na revista espírita "O Reformador", da qual era colaborador.

Esta outra poesia sempre foi uma de minhas favoritas quando menina, pela leveza e pela graça que traz. Ela escreveu para meu pai, que foi seu professor particular de matemática antes de começarem a namorar. A data da poesia é julho/75, quando já estavam casados há sete anos.

MEU PROFESSOR
(Solange Tikhomiroff)

Certa vez eu tive um professor...
Ele ia em casa de meus pais
Ensinar-me com todo o seu calor,
A matemática de todos os meus "ais"

Ele era belo e imponente,
Tinha a voz doce e equilibrada,
Confundia muito a minha mente
E me ensinava a raiz quadrada...

Não sei como aprender eu conseguia,
Perturbada do jeito que ficava...
Quadrado e círculo eu confundia,
Todas as vezes que ele falava...

E um dia a aula fracassou...
Nossos olhares vieram a se encontrar,
Seu carinho ele me confessou,
E desde então só me ensinou a amar!

É... eu devo ter puxado deles o gosto pela escrita! :D Ainda que não possa comparar meu talento ao deles, sempre gostei demais de escrever, e faço isso sempre que tenho oportunidade! Bom... esse blog é prova disso! ;)

Eu volto!

Andréa

Leia mais!

6 meses...

Há exatos seis meses aconteceu aquilo que eu mais temia... após um curto período meio adoentado, enfraquecido por algo que, oficialmente, nem foi diagnosticado, meu pai se foi ao encontro de minha mãe. Uma dor tão grande, um vazio tão imenso, que me deixou sem chão, sem rumo.

Seis meses se passaram e, aos poucos, a vida vai voltando ao seu ritmo normal. O apoio e o carinho dos amigos têm sido fundamentais, porque me ajudam a não arriar. Meu pai não gostaria de me ver para baixo! Pois se era ele o primeiro que, ao notar qualquer sinalzinho de preocupação, medo, tristeza ou qualquer outro sentimento assim, tudo fazia para me animar!

Seis meses... a gente vai, devagar, acostumando com a ideia, com a ausência... buscando preencher os espaços de alguma maneira. Mas a saudade... ah... essa não tem como controlar! Essa não passa, não acaba!

O que me conforta é saber (e acredito mesmo nisso) que ele está bem, junto de minha mãe. A saudade dela também é imensa, mas percebo que, diante da ausência de meu pai, a dela já está mais cicatrizada. O que não significa que não doa, é claro. Mas a saudade dele... ainda machuca demais!

Ai, pai... como eu queria poder voltar no tempo, mudar a história, poder ter você comigo outra vez! Como eu queria poder lhe abraçar de novo, ter meu companheiro de papo, meu ombro, meu colo, fosse por e-mail, telefone ou ao vivo... como eu queria meu "Severino quebra-galho", reclamando da minha exploração... como eu queria meu "paiaço", falando bobagem, fazendo eu dar risada! Como eu queria ter você aqui de novo!!! Amo tanto você, pai... tanto... fique bem, e feliz. Porque eu vou conseguir dar a volta por cima, cicatrizar essa ferida, e ser feliz também.

E, em homenagem a meu pai, vou começar aqui a postar mensalmente textos que ele deixou. Textos que escreveu para jornais de bairro na época que tínhamos a loja, e que juntou em um livro, ao qual intitulou "Vida... reflexões sobre o ser humano pelo prisma esotérico", nunca publicado. Mas são textos ainda muito atuais, que não merecem ficar esquecidos. Começarei com um de seus favoritos, "Um Pequeno Pardal". Espero que apreciem! ;)

UM PEQUENO PARDAL
Ronaldo Tikhomiroff

Existem momentos na vida em que nos sentimos desorientados, sem rumo, perdidos em uma série de fatos que nos levam a refletir sobre o que realmente está nos acontecendo e que caminho tomar. Todos nós passamos por isso.

Amigos nos aconselham, parentes nos confortam, todos procuram nos mostrar a saída, e nada...

Vasculhamos nossos sentidos, pesquisamos nossa mente, procuramos raciocinar e só vemos uma perspectiva: a mais cômoda, a mais imediata, a mais direta...o óbvio.

Eis que dia desses estive assim, como que perdido em meus pensamentos, procurando ordenar minhas idéias e traçar meus objetivos. Ansiava por uma solução imediata. E nada!

De repente, entra loja adentro um amiguinho alado: um pequeno pardal. Voou direto para o fundo da loja, cerca de vinte metros, atraído talvez pelas plantas e pelo teto de vidro, e lá pousou sobre as samambaias. Parecia perdido como eu.

Daquele local não mais saía, voando de planta em planta, sem encontrar seu rumo para a liberdade. Depois de um bom tempo, descansou sobre as plantas, de bico aberto. Parecia haver desistido de continuar tentando descobrir a saída.

Todos nós, preocupados em salvar o pequeno pássaro, procurávamos guiá-lo para a porta da loja, escancarada lá na frente, a vinte metros de distância... Mas o pardalzinho parecia não entender. Tentamos pegá-lo com as mãos para levá-lo para fora, mas ele não permitia...procurava aquietar-se como que aguardando novas forças para uma nova tentativa, ou apenas uma orientação...

Quando já estávamos desistindo de tentar ajudá-lo, ele alçou vôo em direção inesperada: direto para a janela basculante da cozinha, a apenas quatro metros de onde se encontrava, dali alcançando os ares e sua liberdade.

Não foi uma fábula nem um conto infantil. Um fato real que merece pensarmos a respeito: nem sempre a solução para nossos problemas está à nossa frente, nem sempre é o caminho mais óbvio. Ainda que amigos nos tentem ajudar, ainda que nos estendam as mãos, está dentro de nós, através de nossa própria aspiração, sem que procuremos a lógica e a razão para nos guiar, o caminho que devemos seguir.

Se deixarmos que nossa aspiração mais intima se faça sentir, por certo daremos o passo correto na vida, pois ela vem de estados sutis, onde nossa mente não tem poder de interferir. É a libertação do livre-arbítrio, tão necessária nos dias de hoje.

Estávamos a indicar um caminho para nosso querido pardal. Com todo afeto e amor. Porém estávamos sendo guiados por nosso raciocínio, mostrando o caminho que diariamente repetíamos, indo e vindo ao longo da loja. Para o pequeno pássaro, não lhe interessava percorrer a loja, pois só havia entrado para estar com as plantas. Interessava apenas SAIR daquele espaço fechado pelo caminho mais curto. Para sua aspiração, aquilo era o ÓBVIO!

E eu? Deixei de me preocupar com as soluções racionais para aquilo que me afligia. Ouvi com toda atenção e amor tudo aquilo que amigos me diziam, pois a intenção era boa. Porém deixei que minha aspiração me comandasse...e estou descobrindo meu caminho. Obrigado, amiguinho!

Eu volto...

Andréa

Leia mais!

Greve + chuva = Projeto 52 em dia!!!

Estes dias de greve têm sido ótimos para colocar as coisas em ordem! A única coisa complicada é a chuva, que não tem dado trégua! E depois de tudo o que aconteceu comigo no começo do ano, se a chuva aperta um pouquinho que seja, o coração já fica na mão, eu perco o sono, fico levantando para olhar o quintal e a rua... :( Não sei se um dia passa essa sensação, é quase um pânico mesmo! Todas as vezes que saí de casa, fui olhar o rio, confirmar que ele está baixo, mas ainda assim a angústia com a chuva permanece.

E hoje foi um domingo assim... chuva o dia inteiro! Ora bem fraquinha, não dando nem para escutar o barulho, ora pesada, colocando-me aflita. Para segurar as pontas, fui baixando kit de scrap atrás de kit de scrap e produzindo! O saldo? Projeto 52 completamente em dia! :D Este scrap no post é exatamente o da semana que passou, comemoração com as colegas de Pedagogia do ano passado, em nosso primeiro Dia dos Professores formadas! Os scraps todos do Projeto 52 estão aqui.

Amanhã, ao que tudo indica, termina a greve. A Fenaban fez uma proposta, o Banco do Brasil e a Caixa também complementaram com suas propostas específicas, falta apenas a votação pelos sindicatos estaduais, que acontecerá às 18h00. Portanto, terça devo voltar ao trabalho!

Então, como São Pedro parece ter cansado um pouco de lavar a casa, e amanhã provavelmente é o meu último dia de "folga", melhor ir descansar! Hoje cansei de scrappear!!! Mas valeu a pena! ;)

Até mais!

Andréa

Leia mais!

Feliz Dia dos Professores!!!


A cada Mestre que fez e faz parte da minha estrada, a cada um que dedica sua vida ao ensino de crianças, jovens e adultos, a minha reverência. Em especial àqueles que preferem não trilhar o caminho mais fácil, recusando alunos que não se encaixam nos padrões esperados, mas vão à luta, buscando alternativas para que a educação chegue a todos, sem exceção.

Este ano juntei-me a vocês, senão pelo trabalho, uma vez que não estou atuando na área, mas ao menos como graduada em Pedagogia. Uma conquista obtida no final do ano passado, com o principal objetivo de lutar para que a Inclusão deixe de ser um sonho e se torne realidade. Para isso, busquei uma pós em Educação Inclusiva, que talvez nem me traga tanta informação a mais do que eu já conhecia, mas que poderá me permitir atuar de forma mais positiva e, até mesmo, auxiliar na formação de novos professores.

Sendo este meu primeiro ano de formada, da mesma forma que o scrap acima homenageia os Mestres que pontuaram meu caminho, o que está abaixo é para cada um dos meus colegas que, como eu, comemoram seu primeiro Dia dos Professores de diploma na mão!



Parabéns a todos pelo dia de hoje!

Andréa

Leia mais!

Por que Heloísa?


Hoje eu PRECISO dar uma dica imperdível para todos que moram em São Paulo! Projeto de uma pessoa querida, que tive o prazer de conhecer durante o 1º FRISCAP, aqui em Serra Negra. Começou com um livro e agora está tomando ainda mais forma, através de um curta de animação, de um documentário ("Todos com Todos") e um audiobook com narração da autora.

Como é nascer e viver em um mundo onde a diversidade é tão pouco valorizada? O livro “Por que Heloísa?” narra a primeira infância de Heloísa, uma menina com paralisia cerebral, suas relações familiares e o início de sua vida escolar. O curta-metragem dá continuidade à trajetória de Heloísa a partir do seu primeiro dia de aula em uma escola comum. Ambos são baseados em fatos reais. E, para se somar à legitimidade dessa história, o documentário “Todos com Todos” registra experiências inclusivas de crianças com deficiência em escolas comuns das redes pública e privada. O projeto transmidiático “Por que Heloísa?” foi concebido com a intenção de gerar a reflexão coletiva. Como podemos mudar nossa forma de olhar as questões relacionadas à deficiência e à existência humana e colaborar, na prática, para tornar o mundo melhor para TODOS?

O lançamento do curta-metragem e do audiolivro será amanhã, 12 de outubro, às 14h00 na Sede da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, na avenida Auro Soares de Moura Andrade, 564, Portão 10, ao lado da estação Barra Funda do Metrô e CPTM. A entrada é FRANCA!

E, para quem não está em São Paulo, quinta e sábado haverá a exibição do curta-metragem e do documentário na TV Cultura. Imperdível!!!

Para acompanhar o projeto, acessem o blog e curtam a página do Facebook!

Eu volto!!!

Andréa

Leia mais!

Muitas emoções... e muitas fotos!!!

Andei sumida, mas dessa vez a correria teve bons motivos! Já não era sem tempo, né???? ;) Para começar, um dia decisivo que, se não terminou como eu preferia, ao menos está bem encaminhado. Ainda facilitou para que eu desse o pontapé inicial em algo que já estava decidido há tempos, mas que ainda não tinha conseguido tocar. Mas isso ainda é um segredinho... algumas pessoas já sabem, mas prefiro guardar mais um tempo. Deixa a história amadurecer. Mas é coisa boa, que só vai me trazer alegrias! E nós vamos todos comemorar juntos! :D

Depois, uma ida a Ribeirão Preto dia 24 para um treinamento do banco, que deveria ser dias 27 e 28 mas acabou cancelado na véspera de começar. Mas tudo bem... Ribeirão Preto significa... fugidinha a Sales Oliveira para ver a Bel e seus três TSUNAMIS!!! :D Como estão grandes, gostosos... e cada vez mais levados!!! Nem consegui tantas fotos porque eles não paravam quietos! As que consegui, estão aqui!

Esse cancelamento do curso me fez voltar de Ribeirão às carreiras! Como fui avisada já de tarde, na segunda-feira, não tinha como vir embora. Tive que vir na terça, saindo de Ribeirão às 6h30 da manhã! Tem noção do que isso significa? Significa uma doida chegando no restaurante do hotel assim que ele abriu para pegar alguma coisa para comer no ônibus! Ficar em jejum até Amparo não dava, né? São 5h de viagem, sem contar a espera de quase 1h em Campinas!!!

Mas cheguei... EXAUSTAAAAAAAAAAAA, mas cheguei! :D Trabalhei o dia todo e, no dia seguinte, o que acontece? GREVE!!! Ótima desculpa para descansar (eita coisa boa!!!) e colocar as coisas em ordem por aqui! Sim, porque ainda tem um bocado de coisas para ajeitar! ;) Além disso, agilizei um pouco o Projeto 52, que agora já chegou ao fim de... julho! :D

Chega o final de semana e eu começo a ver as meninas da faculdade postando as fotos do álbum de formatura... ansiedade e MEDO do valor que vinha o bichinho, viu? Mas tinha que bancar essa, não tinha como. De repente, na segunda, além dele ainda chegam as minhas almofadas! LINDAAAAAAAAAAAAS!!! Nem esperava tão rápido, têm encomendas postadas há mais tempo que não vieram ainda, mas essa greve dos Correios deixou tudo meio atrapalhado mesmo.

E o álbum não veio sozinho... veio com o cd das fotos, o que facilitou para compartilhar, os dvd's da colação e do baile (que ainda não tive coragem de ver, um dia terei), e um quadro lindo! Fotos de tudo isso aqui!

O quê? Ah, as fotos do álbum? Querem ver, é? :D Ok... estão bem aqui! Tanta foto do meu pai... quanta saudade... (você devia estar aqui para ver, sabe?)

Amanhã a greve continua... os banqueiros não querem saber de negociar, então está complicado o negócio. Não sei quem sai ganhando com isso... Correios e bancos parados prejudicam a população, mas que outra forma os trabalhadores têm de brigar por condições melhores? Se nem assim a negociação está caminhando, imagina se não tivéssemos cruzado os braços? E mesmo para nós, a greve é complicada, porque depois vamos ter que repor dias, correr para colocar serviço atrasado em ordem... mas é o preço que pagamos para tentar melhorar para todos. Vamos ver se essa semana a coisa deslancha!

Ah sim! Vocês devem ter reparado que dei uma arrumadinha no blog! As listas da lateral direita estavam deixando o layout muito comprido, então dei uma ajustada, tirei uns links que não funcionavam mais... Achei que ficou melhor assim, espero que gostem também! ;)

Só uma dica: as promoções da loja estão bombando, e ainda temos um prazo legal para o Natal. Presentes originais, personalizados... vale a pena! Vão lá dar uma conferida!

Eu volto... espero que com mais frequência, mas já desisti de prometer isso... não cumpro mesmo! :D

Andréa

Leia mais!

Parabéns, Ursão!!!

(esse ano não teve scrap, tenho produzido pouco, as coisas ainda

estão meio complicadas... mas o amor continua cada ver maior!)


Meu Ursão galã... 6 anos? Como pode ter passado tão rápido, me diz? Caramba, Bê... lembro tanto quando conheci sua mãe, você ainda guardadinho na barriga... depois, o seu nascimento, sua luta, suas inúmeras VITÓRIAS! Quantas foram mesmo, hein? Perdi a conta! Você deu um bom número de sustos na gente, mas era guerreiro demais! Sempre disse para sua mãe que você tinha mostrado a que veio, que era um campeão, um vencedor! Tem uma garra, uma força... um olhar profundo, de quem enxerga além. E cada dia mais você prova tudo isso...


6 anos... como queria estar aí pertinho, para abraçar você bastantão, cantar parabéns, comer bolo e brigadeiro, fazer uma farra daquelas bem boa, brincar de massinha, ver dvd, dar muita risada... mas já que não dá, vou deixar os parabéns por aqui, pode ser? Sua DindaNet hoje tem que fazer prova da pós (até por isso a mensagem chegou um pouco antes da hora certa), mas não esquece de você, de jeito NENHUM!


Amo MUITOOOOOOOOOOOO você, Ursão! E desejo que você seja sempre muito, muito, muito FELIZ! Com a família que tem, isso nem é difícil, né? Mas você vai além... vai ser feliz porque vai ser independente, autônomo, vai conquistar o mundo, se assim quiser! Porque você pode conseguir TUDO que quiser! Basta acreditar... e eu ACREDITO!!!


Muitos beijos, meu lindo! Que seu dia seja tão especial quanto você é para mim!


Andréa

Leia mais!

Lojinha engrenando... OBA!!!

Duas semanas sem postar, né? Mas as coisas andam meio corridas aqui, sorry... Um dos motivos (graças a Deus) é que a loja do Scraps by Andrea no Elo7 começou a engrenar! :D Tem chegado vários pedidos, e isso tem me ocupado um bocado. Bom em todos os sentidos, porque ocupar a cabeça é preciso e cuidar do bolso também! ;)

Eu mesma aproveitei que as capas de almofada tinham entrado em promoção para fazer umas aqui para casa. Os sofás bem que estão precisando de complemento! Ficaram lindas, não vejo a hora que cheguem em casa!!!

Prometo que quando elas chegarem eu posto fotos delas já cheias, colocadas nos sofás! ;) A promoção das almofadas já acabou, mas tem avental e porta moedas ainda... vai lá espiar! :D

De resto, tudo caminhando... esta semana tenho prova da pós para fazer (e nem comecei a estudar ainda...), contas de monte para pagar (e não ganhei na Mega Sena...), ou seja, sem grandes novidades! Mas, para que não pensem que esqueci de vocês, achei que era melhor dar uma passadinha pelo menos, né? ;)

Eu volto... e, espero, com grandes novidades! Torçam por mim!

Andréa

Leia mais!

E o Projeto 52?


Antes de mais nada, peço que me desculpem pelo desabafo do último post... passei realmente uns dias bem ruins, com várias coisas acontecendo ao redor, e se não colocasse para fora de alguma forma acabaria por explodir! Mas não tive, em nenhum momento, a intenção de preocupar vocês, viu? ;) Passados alguns dias, agora as coisas voltam a entrar nos eixos. Nada definitivo ainda, mas caminhando bem, e isso é o que importa no momento. Peço, por favor, que fiquem tranquilos. Mas torçam por mim!!! :D

Esta semana fui questionada sobre como faria com o Projeto 52 em um ano marcado pela dor... e eu digo que estou seguindo com ele, da melhor maneira possível! Primeiro, porque apesar de tudo não há como apagar o que se passou, e colocando em scraps talvez fique mais fácil lidar com tudo o que houve. Depois, porque ia acabar retomando ano que vem, já que é algo que me dá prazer em fazer, e depois em rever o trabalho pronto, então não queria "pular" um ano. Se ao menos desse para pular o ano de verdade, mas como não tem jeito... E o motivo principal: meu pai adorava este projeto, dava o maior apoio, gostava de ver página a página, depois quando o fotolivro ficava pronto. Fez parte dos dois outros anos, e de parte deste também. Ele detestaria que eu desistisse, até porque seria por causa da partida dele que eu eventualmente faria isso.

Talvez eu esteja seguindo mais por ele do que por mim neste momento, mas seja como for, estou seguindo. O trabalho está um bocado atrasado, acabei de concluir a página (esta do post) de 11 de junho! Pois é, já estamos quase em setembro, falta um bocado para chegar ao dia certo. Mas, na verdade, custei a começar o Projeto 52 deste ano, foi em março que dei a largada para ele! Então, até que tenho mantido o ritmo... o atraso é que me persegue!!! ;) Não nego que foi difícil passar pelas semanas em que meu pai esteve doente, escrevendo o sentimento do momento ao invés de concluir o que já era fato quando compus o scrap. E depois, mais ainda, pela semana da partida dele. Mas penso que achei o "tom", para deixar tudo mais leve, ainda que cheio de sentimento.

Todos os scraps do Projeto 52 estão no link da parte superior, mas é preciso que seus pop-ups estejam ativados para que o link abra! ;) Vamos caminhando!

Andréa

Leia mais!

Tentando, tentando, tentando...

Comecei o ano tão animada... cheia de esperança, ansiosa pelo baile de formatura... havia, sim, um pequeno entrave que não tinha permitido que 2010 fosse totalmente perfeito, mas quem disse que perfeição tem graça? Alguma luta, alguma batalha sempre tem que haver, né? ;)

Mas eu realmente não esperava um ano tão difícil... tanta coisa acontecendo, tanta coisa pesada, difícil de segurar... a metade do ano já passou e eu juro que às vezes não sei como ainda estou de pé! Claro que existiram momentos bons, o baile da faculdade, a comemoração do meu aniversário, a noite italiana no prédio da Lena... mas as coisas difíceis ainda prevalecem, e às vezes me deixam balançada.

Sou uma pessoa transparente demais, sincera demais (quem me conhece de verdade SABE que sou assim), e ser apunhalada pelas costas é algo a que não estou acostumada, e acho que não vou acostumar nunca. Honestidade, caráter, são coisas que prezo demais, não sei ser hipócrita.

Quando finalmente pensei que estava conseguindo arrumar o entrave surgido no ano passado, arrumar as coisas da melhor forma possível, eis que surgem pessoas que se mantiveram ausentes em todo o processo (diga-se de passagem, ausentes em toda a dificuldade que passei este ano) e resolvem se armar de "salvadoras da pátria", agindo nas sombras, traindo, usando de artimanhas as mais baixas, tentando me derrubar. É nestas horas que mais sinto falta do meu pai... porque ele tinha o dom de me colocar para cima, de não me deixar baquear. Tenho tentado fazer jus aos ensinamentos dele, mas tem horas que não é fácil... se a TPM estiver atacada então... é brabo! :(

Este final de semana foi assim... levei uma paulada, baqueei, mas agora já estou melhor, e pronta para continuar lutando! Porque quem tem a consciência tranquila, de estar fazendo o melhor que pode, sem prejudicar ninguém, sem passar por cima das pessoas, não pode perder a Fé. Deus é Pai, e saberá definir o melhor caminho para cada um. Desistir não é palavra que exista em meu dicionário! ;) Além do quê, a minha "torcida organizada" do outro lado não vai me deixar na mão... tem gente demais olhando por mim, não posso cair! ;)

Às vezes me pego pensando, que este blog era para ser um espaço alegre, sempre para cima, mas ultimamente está difícil, vocês têm percebido. Se aqui eu comento sobre mim, dou notícias, como falar que está tudo bem diante de tudo o que tem acontecido? Foge ao controle, não depende de mim... ainda assim, quero tentar, daqui por diante, voltar a postar dicas, como havia me proposto no início do ano. Se vou conseguir, são outros quinhentos! :D

Falando em dica, não posso deixar de puxar a sardinha para o meu lado, né? ;) Tenho mantido a loja virtual do Scraps by Andrea sempre atualizada. Toda semana praticamente tem promoção nova, porque o meu ganho é nos layouts, então se o meu fornecedor baixa os preços eu repasso no ato para vocês! :D Não deixem de visitar de vez em quando, porque as promoções sempre valem a pena!

E antes que achem que estou deprê, nem se preocupem! Estive um pouco sim, não nego, mas na TPM isso é normal, e depois da paulada que levei foi duro levantar. Mas nada que umas gotinhas de Rescue, uma saída básica com a Samara para olhar umas vitrines, e uma boa comédia não fizesse ir embora. Como disse, estou pronta para continuar a batalha! ;)

Eu volto, prometo!

Andréa

Leia mais!

Dia dos Pais

Como é difícil passar impune por datas como esta... nem sei ao certo como ou o que falar... iniciei o ano tão cheia de esperanças, junto a você no reveillón... passou o baile de formatura, onde dançamos juntos as três valsas, e de repente veio aquela enchente doida, fazendo uma limpeza geral na parte material de minha vida, um susto absurdo, mas eu tinha você do meu lado, apoiando, dando força, não deixando que eu caísse. Quando tudo parecia entrar nos eixos, você de repente adoece, mas sem perder a Fé em nenhum instante, acreditando realmente que iria ficar bom, mais uma vez não deixava que eu baqueasse. Mas, apesar de nossas crenças, você partiu... faz três meses já, e ainda parece que foi ontem.

Já disse aqui algumas vezes, estou bem no geral, mas essa ferida insiste em não cicatrizar... sinto MUITA saudade de você. Muita mesmo!

No dia que a Milla partiu, eu pude lhe abraçar quase na hora de acordar, de forma tão real e tão intensa, e só depois fui entender que estava ali, dizendo para mim que não estava só, que eu podia ter certeza de seu colo em mais um momento difícil que eu passaria em minha vida. Você estava comigo, como sempre.

E eu sei disso, pai, sei mesmo. Mas o que eu posso fazer se sou humana e sinto falta da voz, do contato físico? Tantas e tantas vezes quero ligar, ir à sua casa, falar com você... ouvir você, receber seu abraço... é mais forte do que eu! Hoje (ou melhor, daqui a pouco) é Dia dos Pais, e pela primeira vez na vida não poderei estar com você... mas quero que saiba que não esqueci, que em momento algum deixei de lembrar de você e de acreditar que sou uma privilegiada que teve a benção de nascer na melhor família do mundo, com a melhor mãe e o melhor pai que alguém poderia sonhar.

Não posso lhe dar um presente, mas posso deixar aqui uma homenagem... a sua música preferida, na voz daquela que lhe arrepiava quando cantava... New York, New York por Liza Minelli!

Um Feliz Dia dos Pais, pai! Onde você estiver. "Nunca se esqueça, nem um segundo, que eu tenho o amor maior do mundo... como é grande o meu amor por você!"

EU TE AMO!!!

Andréa

Leia mais!

Adeus, minha Milla!

Minha amiga querida... tão arteira e tão doce...

Exatamente por uma travessura acabou tendo que partir... machucou a boca, de uma forma tão feia e tão escondida que quando nos demos conta a infecção já estava muito grande. Conseguimos contê-la, sim, mas ela lhe enfraqueceu demais, e por mais que tenhamos feito de tudo (até bater fígado no liquidificador!), não pudemos mais mantê-la conosco. Dr. Filippi tentou tudo, e foi por confiar nele que deixei que fosse internada. A coisa estava séria, e você precisava de um tratamento mais intensivo. Pena que não deu certo...

Não por opção, graças a Deus! Acho que não conseguiria tomar uma decisão destas. Mas você simplesmente... foi! De forma suave, sem reclamar em nenhum momento... é verdade, você não gemeu sequer uma vez, Milla! Por isso até foi difícil percebermos a extensão do machucado. Afinal, você vira e mexe tinha um machucado novo por conta de suas artes! Quem podia adivinhar que desta vez a coisa era tão séria assim? :(

Hoje, quando estava chegando ao banco para trabalhar, senti de repente como se estivesse chegando em casa e você me recebendo, pulando, lambendo, feliz da vida. Meu coração ficou dividido... mas quis acreditar que estava melhorando. Agora sei que não... foi nesta hora que partiu, e veio ao meu encontro para se despedir, mostrar que estava bem de novo, saudável, feliz. Obrigada, querida, obrigada por todo o carinho, todo o amor que me dedicou nestes anos que passamos juntas.

Sentirei muito a sua falta... da sua cabeça em meu colo quando estava no computador, da carona enfiada embaixo das minhas cobertas para o boa noite, do "fantasma" no vitrô da cozinha (e algumas vezes entalado no vitrô!), dos olhos pidões quando eu estava comendo queijo (você tinha mesmo um pé na camundonguice)... das vezes que cheguei da faculdade e vi que tinha fugido, de quando encontrei você no telhado da edícula... de todas as manobras para fechar o portão de casa e impedir sua fuga... e você SEMPRE conseguia burlar! :)

Vai em paz, minha linda... se existe um céu para os cães, você certamente está nele. Só veja se não apronta demais por aí, viu? Você fez minha vida mais feliz e mais completa nestes anos todos. Espero ter feito o mesmo por você.

Andréa

Leia mais!

Feliz Dia do Amigo!!!

Se tem alguém que PRECISA celebrar este dia, este alguém sou eu! Afinal, não fossem vocês, como eu teria me reerguido após aquela loucura da enchente no começo do ano? Pior: como teria suportado a partida de meu pai?

Falei várias vezes que ele foi meu maior e melhor amigo, e é verdade. A falta que ele me faz é algo que não consigo ainda mensurar, está muito recente. Se ainda sinto demais a falta de minha mãe, que também foi minha maior e melhor amiga... mas essa falta é algo já mais distante, porque dez anos já se passaram. a rotina mudou muito neste período, muita coisa aconteceu. A falta dele é algo mais palpável... é a falta do dia-a-dia que aprendemos a reconstruir depois que minha mãe partiu. Sei que também essa vai serenar, mas leva tempo. E como é difícil!!! Ainda assim, posso dizer que tenho conseguido brincar, dar risada, até mesmo, por que não, me sentir FELIZ! Devo isso a ele, a eles! Foi por isso que lutaram desde que nasci, né?

Mas eu não teria conseguido dar a volta por cima tão rápido se não fossem vocês. Cada um que me amparou, apoiou, orou por mim... Quando penso tudo que passei este semestre... gente, esse turbilhão todo aconteceu em apenas SEIS MESES! E aí eu me lembro de cada e-mail, cada telefonema, cada mensagem, cada depósito feito em minha conta... caramba, eu sou uma pessoa de muita SORTE! Tenho um monte de AMIGOS, amigos com letras maiúsculas, garrafais! Vocês! Como posso baquear tendo vocês ao meu lado? Não posso!!! E não canso de agradecer, de coração, por tudo que fizeram por mim!

Amigo que é amigo não tem data marcada, não se afasta quando vê o outro em dificuldade, com medo que ele venha pedir ajuda... para uma pessoa de sorte como eu, amigo é também tio, tia, primo, prima... amigo é como vocês, acolhe, ampara, ora, vibra... faz a vida do outro mais leve, mais feliz!

Obrigada, a cada um de vocês que faz parte de minha vida!

Um MEGA SUPER HIPER FELIZ DIA DO AMIGO!!! Eu amo vocês!!!

Andréa
publicado 1h antes porque estou apagando! ;)

Leia mais!

Scraps By Andrea de Casa Nova!!!

Nem todos sabem, mas com a partida de meu pai fiquei bastante perdida quanto ao que devia fazer com meu site. Ele o havia preparado, era quem atualizava... e se eu manjo um bocado de informática, nesta área sou uma negação! Para complicar, não tinha, de imediato, como contratar um webdesigner para isso! :(

E foi então que lembrei de um site que serve de vitrine para pessoas que fazem artesanato. Bom, o que faço é uma espécie de artesanato... só que digital, certo? Entrei em contato com eles, mostrei o que faço e perguntei se poderia ser enquadrada lá. A resposta? SIM!!! :D

O próximo passo foi criar uma loja lá, colocar todos os produtos, descrições, preços... mas é muito legal, porque tem como aceitar pagamento por cartão via PagSeguro ou PayPal, além dos depósitos bancários a que estava acostumada.

E a loja está pronta! Não deixem de visitar, divulgar, adicionar aos seus favoritos... Espero que gostem!!!

Andréa

Leia mais!

Festa no Céu!!!

Há exatos 43 anos a cidade do Rio de Janeiro testemunhava a celebração do grande amor entre dois jovens. Amor forte, intenso, indestrutível. Almas gêmeas de fato, que haviam se encontrado cinco anos antes e estavam, a partir dali, mostrando a todos que pretendiam construir uma família juntos.

E foi o que fizeram. Tiveram duas filhas, duas netas... passaram algumas dificuldades, mas muitas alegrias também. Aliás, estas sempre prevaleceram, porque as dificuldades não eram nada frente à cumplicidade, à união, ao amor entre eles.

De repente, por motivos que só se explicam em planos superiores, o casal já não tão jovem, precisou se separar. Ela precisou partir... e partiu, sem avisar, deixando despedaçado o coração de seu grande amor.

Ele lutou, arduamente, para se refazer. Tentou mais de uma vez se ligar a novas companheiras de jornada. Mas a verdade é que ele esperava, dia após dia, reencontrar sua alma gêmea...

E então, prestes a comemorar dez anos da partida dela, ele percebeu que era chegada a hora. Já haviam ficado tempo demais separados, era hora de se reencontrarem! E, também sem avisar, partiu ao seu encontro...

A festa foi grande, certamente. Mas ainda maior é a festa que está acontecendo hoje! Afinal, depois de dez anos eles estão podendo, novamente, comemorar a celebração de seu amor juntos!

Parabéns, pai! Parabéns, mãe! Comemorem, comemorem muito, porque há muito tempo não podiam fazer isso e vocês mais que merecem toda a alegria do mundo!!! Amo MUITO vocês! MUITO, MUITO, MUITO!!!

Andréa

Leia mais!

Casa com cara de casa

A data do scrap é 15 de março, época em que a reforma da casa se aproximava do fim. Na verdade, faltava só a parte do quarto das meninas e, claro, arrumar tudo! Era para estar tudo pronto há bem mais tempo, mas como sabem, no meio do caminho teve meu pai... e naquele mês que ele ficou adoentado, em recuperação, eu larguei tudo de mão mesmo! Depois, com a partida dele, custei um pouco a conseguir colocar a mão na massa de novo. Normal, é óbvio... ainda passei no último mês por uns entreveros por aqui, que graças a Deus estão solucionados. E agora, afinal, eu tenho de novo uma casa... uma casa com cara de casa!!! :D

As fotos estão aqui, para não pesar demais o post. Lógico que ainda faltam algumas coisas, fotos, cds, nem comecei a mexer ainda. Vai levar tempo e dar um bocado de trabalho! Mas o principal está arrumado, e posso dizer novamente que tenho uma CASA. E se eu pude sair disso aqui:

Para isto aqui:


Eu devo agradecer a cada um dos amigos que me apoiou, ajudou com palavras de força e carinho, outros que puderam ajudar financeiramente e, claro, devo agradecer por isso ter acontecido quando já estava trabalhando no Banco do Brasil, pois sem o seu programa de auxílio seria impossível me reerguer, por maiores que tenham sido os auxílios recebidos dos amigos.

Agradeço, também, por ter tido meu pai ao meu lado durante a fase mais difícil, por ele ter aguentado meu choro, meu desespero inicial... por ter corrido atrás de soluções quando algo enroscava... por ter sido, mais uma vez, meu "Severino quebra-galho"... ai... que eu só queria que ele estivesse aqui para comemorar comigo, para ficar feliz comigo... falta ele para minha felicidade ser completa, viu?

Tudo bem, eu sei que ele está ao meu lado, que está feliz... não só ele como também minha mãe, mas é diferente, poxa! Eles fazem muita falta aqui, fisicamente... faz falta a voz, o toque, as brincadeiras... por mais que eu entenda, por mais que saiba que eles estão bem, que estão felizes, a falta que sinto é muito grande...

Mas hoje é dia de comemorar! Afinal, depois do susto, do choque de encontrar minha casa devastada pela enchente, é confortador chegar e encontrar tudo arrumado, limpo, cheiroso... é bom demais! :D

Antes que perguntem: não, não estou segura de todo aqui, o que aconteceu em janeiro pode se repetir. Mas a casa é minha, então eu precisaria vender essa para comprar outra, e para isso ser possível eu teria que ter uma reserva financeira para poder bancar a diferença, e eu não tenho.

Eu tinha planos, antes da enchente, de fazer um consórcio onde iria pagando por mês e daria um lance quando vendesse esta para pegar a carta de crédito e comprar outra. Só que eu não contava com tudo o que aconteceu, né? A verba do banco precisa ser paga, ainda que seja sem juros, e é uma parcela mensal com a qual não contava. Além disso, tive despesas extras com meu pai, com as quais também não estava contando. Complicou tudo! :(

Então, agora tenho é que rezar. Tanto para que o rio não encha mais, quanto para conseguir uma graninha extra... Alguém aí sabe os números da próxima Mega Sena? :) Fora de brincadeira, sei que só saindo daqui vou ter paz... hoje mesmo começou a chover forte, meu coração já ficou apertado! Levantei várias vezes para ver se estava tudo bem, na frente, nos fundos... porque o trauma existe, não há como negar!

Mas eu tenho Fé... e sei que se passei por tantas provas, e acho que passei relativamente bem por elas, em algum momento vai chegar algo muito bom também! Ajudem na torcida, please! ;)

Vamos ver se agora, com as coisas mais serenas, consigo finalmente voltar ao ritmo das postagens... prometo, ao menos, tentar!

Andréa

Leia mais!

10 anos...

Hoje (10 de junho) faz dez anos que minha mãe retornou à sua verdadeira Morada... lembro-me ainda, como se fosse hoje, do susto que nos causou. Não estava doente, tinha apenas uma tosse irritante, igual à que tinha todos os anos nesta época. Tosse alérgica, devido ao tempo seco. Chegamos, mais uma vez, a perguntar se não queria ir a um médico, mas ela já estava tão acostumada a ter aquilo sempre que nem pensou a sério no assunto.

Adiantaria ter pensado? Duvido muito. Era chegada a hora, simplesmente. Minha mãe se preparou a vida inteira, sempre teve um lado espiritual fortíssimo, estava pronta para seguir caminho e ajudar em outros planos nos tempos difíceis que o planeta havia de enfrentar dali por diante. E é sempre assim, não é? Os bons vão na frente quando reforços são necessários lá em cima... duro é para quem fica!

Depois, quando a ficha começou a cair, percebi que ela fez de tudo para nos preparar. Chegou a dividir as tarefas que ela costumava fazer entre nós! E foi em paz... como não podia deixar de ser. De forma suave, sem deixar dúvidas, sem dar tempo a internações, entubações, ou coisa que o valha. Foi "como um passarinho", não é assim que dizem?

Percebi ainda, algum tempo depois, como muito havia sido revelado a ela mesma em sonhos. Sonhos que ela lembrava ao acordar, que contava a nós sem entender bem o significado. Porque o significado não era imediato, era para mais adiante. Ela viveu, de fato, tudo aquilo que lhe foi mostrado em sonho alguns anos depois. Tenho certeza disso.

Não foram fáceis estes anos. Minha mãe era uma presença muito forte em nossas vidas, o pilar mestre da casa, e ficar sem a presença física dela foi algo muito complicado. Para mim, perdi a companheira que tinha para tudo, éramos muito ligadas. Meu pai, a companheira da vida toda. As meninas, a avó-mãe, que tudo segurava. Mas aos poucos, unindo forças, um apoiando o outro, fomos reaprendendo a caminhar.

Eu e meu pai nos tornamos unha e carne, inseparáveis. Ele teve vários relacionamentos nesse período, não sabia mesmo viver sozinho (e minha mãe cantou essa bola bem antes de partir), mas mesmo assim nos falávamos várias vezes ao dia, continuamos a dividir tudo, alegrias e preocupações, sem segredos um com o outro. Éramos os dois contra o mundo!

E, de repente, ele resolve que a saudade de sua Solange já doía demais, já tinha durado demais, e que este aniversário de dez anos era para comemorarem juntos! Adoeceu, meio que para nos preparar, mas ao mesmo tempo para limpar as últimas "sujeirinhas" que sua alma ainda carregava. Nos fez ver, por mais confiantes que estivéssemos em sua recuperação, que nada era definitivo. Que podíamos, ainda que fosse difícil, não contar com sua ajuda o tempo todo. Simples assim... ele se arrumou todo, passou a última noite aqui em casa, despediu-se de mim e das meninas, esperou ficar sozinho com a Samara, e partiu. Fácil? Nem um pouco. Mas já falei sobre isso nos posts do último mês, né?

Eu tenho muita sorte, sabem? Fui presenteada com pais maravilhosos, espíritos de pura luz, almas gêmeas que aqui se uniram e se dispuseram a me receber, orientar, educar, mostrar o caminho correto. Eles me ensinaram que Fé não é algo que tenha "senões", ou se acredita ou não se acredita que Deus sabe o que faz e que nos destina exatamente o que é melhor para nós sempre. Eu sei disso.

Por isso não me revolto, ao contrário. Apesar da saudade que sinto, imensa, doída, fico feliz de saber que eles estão juntos novamente. E bem, em paz e, principalmente, felizes, como eu sempre quis que estivessem. Tudo bem, que eu queria, na verdade, que eles estivessem juntos, bem, em paz, felizes, AQUI... comigo, com as meninas... AQUI fisicamente, e não em outro plano, óbvio! Mas nem tudo é como queremos, né? ;)

Agradeço, a cada dia, a sorte de ter os dois como pais. E de ter os dois perto de mim, ainda que não os veja mais. E de ter os dois partido sem sofrimento, porque isso foi bom para eles e para mim também, que não gostaria de vê-los sofrer.

Mas a saudade fica... e não há como fingir que não existe. Não há como esquecer estas datas, como se elas não existissem. Ao contrário. Se 14 de janeiro era comemorado o aniversário de minha mãe aqui, em 10 de junho temos mais é que comemorar o anivesário de minha mãe lá! E, festeira como ela sempre foi, imagino a festa de arromba que está armada... ainda mais com meu pai junto dela! Minha nossa... o céu hoje vai tremer!!! :D

Pois que festejem! Muito, juntos, como há dez anos queriam fazer! Vocês dois merecem isso, merecem toda a luz e toda a alegria desse mundo! AMO MUITO VOCÊS!

(Mas se puderem me deixar ir rapidinho, durante meu sono mesmo, assistir a um pedacinho que seja da festa, não vou reclamar, tá???? Só o tempo de abraçar e beijar vocês muito...)


Andréa
(postado antes da meia-noite porque o sono e o frio estão grandes demais...)

Leia mais!

Um mês...

O scrap é antigo, mas os dizeres são para sempre...

Um mês se passou...
Pouco e muito ao mesmo tempo
Sinto ainda como sonho
Que se acabará a qualquer momento

Tanto medo eu acalentava
Que do assunto sempre fugia
Pensamento, entretanto, alertava
Que em breve você me deixaria

Quando, no entanto, a hora chegou
Eu mesma me surpreendi
Apesar do susto, do impacto, da dor
Com a forma como reagi

Tenho estado bem, até
Melhor do que poderia imaginar
Ainda que a falta continue doer
E eu precise, vira e mexe, chorar

E dói, pai, como dói
Não poder ligar, falar, abraçar...
Esta saudade por vezes corrói
E me faz de novo desabar

Sei que está bem, sem sofrer
Feliz ao lado de minha mãezinha
Que era hora de você aí renascer
E de eu trilhar aqui, sozinha

Não sozinha de fato, é certo
Porque vocês dois olham por mim
Amparam, protegem, de perto
Até nos reencontrarmos por fim

Mas não há como impedir
Que a ausência física doa
Ainda assim já consigo sorrir
A cada lembrança boa

Que me ver feliz, eu sei
E eu serei, pode acreditar
Quero que siga seu caminho em paz
Sem comigo ter de se preocupar

Só não se afaste demais, eu peço
Venha de vez em quando me visitar
Em sonho, em prece, um encontro
Para eu poder de novo lhe abraçar...

Amo você, paizinho... você faz muita falta aqui!

Andréa

Leia mais!

Gratidão...

Nos últimos dias, vocês sabem, passei pelo momento mais difícil de minha vida. Prestes a comemorar dez anos do desencarne de minha mãe, meu pai resolve partir. Foi barra... está sendo ainda, confesso. Apesar de conseguir passar melhor os dias, ainda há momentos em que dói muito intensamente, em especial quando sou traída pelo impulso, como quando quero pegar o telefone e contar algo a ele, ou quando vejo algo interessante na internet e quero lhe enviar um e-mail. Porque nestes momentos a ficha cai de novo, e aí... volta tudo!

Quinta-feira voltei ao trabalho e foi este um dos dias mais duros da semana. Até então, ficando em casa, procurei fazer de tudo para me distrair. Peguei comédias na locadora, saí para ver vitrines, sempre com a "escolta" inseparável da Samara, que tem sido uma companheirona. Mas quinta eu tive que ir para Amparo sozinha... e isso era algo que fazíamos juntos muitas vezes, porque ele também dava aulas lá. Ele ficava me esperando na rodoviária e, quando eu me aproximava, ele virava a cabeça e dizia "tá bonita", de um jeito todo seu, independente de como eu estivesse. Pegávamos o ônibus e, chegando em Amparo, parávamos para tomar um café, fosse na rodoviária ou em alguma padaria. Depois seguíamos para o trabalho, ele me deixava no banco e seguia para a escola no quarteirão seguinte. Várias vezes ele esteve na agência, ou para me levar algo ou para buscar, e as pessoas observavam nossa cumplicidade. Só por essa descrição rápida já dá para perceber o quanto as lembranças vieram na quinta-feira, né? E o quanto foi difícil passar por tudo isso sozinha? :( Na sexta já foi um pouco mais fácil, a primeira vez é que é o complicado mesmo...

E hoje... encontrei uma amiga pelo msn, a quem eu não tinha conseguido avisar ainda, apesar da filha ter Facebook e eu imaginar que ela já soubesse. Ela soube hoje, na verdade, e disse que queria falar comigo porque havia sonhado com minha mãe semana passada, mas que queria falar por telefone porque não sabia exatamente como me contar... porque no sonho minha mãe estava com meu pai! Os dois juntos, felizes! :D Ele já havia partido, ela não sabia mas entendeu que era algo que estava próximo de acontecer, por isso não sabia como me falar. Não fazem ideia de como fiquei feliz com a notícia! Tudo bem, eu sei que nem todo mundo acredita, mas para mim as coisas não terminam aqui, tem muito mais além, e eu já tinha, dentro de mim, a certeza de que eles haviam se reencontrado. Poxa, meu pai esperou por isso quase dez anos! Mas, ao mesmo tempo, eu não sabia se o que ele havia passado no último mês, se a sua "doença" que ainda nem sabíamos ao certo o que era, iria fazer com que precisasse de alguma recuperação após o desencarne. Qual nada! Ele foi rapidinho encontrar minha mãe, isso sim! :)

Enfim... posso dizer que, apesar dos pesares, estou melhor, conseguindo passar os dias sem tanta angústia, sem tanta vontade de chorar... mas chorando ainda quando dá vontade, porque também não sou de ferro, né? E guardar sentimento faz um mal danado, então não seguro mesmo! E, se estou me sentindo assim, muito eu devo a cada um de vocês, amigos, parentes ou apenas conhecidos, que me deram tanto apoio durante os últimos dias. A todos vocês a minha eterna gratidão!


Eu volto, prometo! Aos pouquinhos vou retomando o ritmo e postando um pouco mais.

Andréa

Leia mais!